19 janeiro 2018

Amar os líderes

"E David lhe disse: Como não temeste tu estender a mão para matares o ungido do Senhor?" (2 Samuel 1:14).

Este é versículo está inserido no relato de um homem amalequita que escapou da batalha contra os filisteus e trouxe a notícia da morte do Rei Saul a David. Ao longo da sua vida, Saul sempre invejou, perseguiu e até tentou matar por diversas vezes David. Por estranho que pareça a alguns, David não ficou contente com a morte do seu inimigo Saul. Ficou tão triste, conturbado e indignado que mandou matar o arauto amalequita. Independentemente de todas as diferenças e falhas, David respeitava e amava o "ungido do Senhor". Como rei era líder da nação israelita e representante de Deus e da autoridade divina.

Umas das lições que retiro é que o amor a Deus e a submissão à sua autoridade deve estar acima das nossas razões e questões. Afinal de contas, se Deus nos ama tanto, sendo nós tão pecadores e maus, como não amar os ungidos do Senhor?

18 janeiro 2018

Pensar mais em quem Deus é

"Quão formosos os pés dos que anunciam a paz, dos que anunciam coisas boas!" (Romanos 10:15).

Pode não mudar as nossas circunstâncias, nem resolver todos os nossos problemas, mas pensar nas coisas boas é sempre melhor do que pensar nas más. Quem pensa mais nas coisas boas do que nas más, vai ficar com o coração grato. O coração fala aquilo que está cheio. O coração grato faz a vida feliz. Pensar mais em quem Deus é e naquilo que Ele tem feito. O Evangelho de Jesus Cristo são as boas novas que pacificam e alegram a alma e a vida. Felizes são aqueles que pensam e anunciam a paz e as boas coisas de Deus! Deus é bom. Sempre bom!

05 janeiro 2018

De que se queixa o homem?

"Quem pode entender os próprios erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos." Salmos 19:12.

Boas mudanças acontecem, não quando apontamos erros alheios, mas quando admitimos os nossos próprios erros. Dos muitos pecados que temos, provavelmente os mais tenebrosos, são os que não conseguimos ver como nossos. Aqueles erros que, por causa da cegueira da nossa arrogância, vaidade e petulância, nos ficam ocultos. Quando nos julgamos mais correctos e justos que todos os outros, mais cegos e pecadores estamos. O grande embaraço na vida não está em repararmos no argueiro do olho do nosso irmão, está em não vermos a trave que está no nosso olho. Isto não quer dizer que não podemos ter a percepção dos demais pecados, mas comecemos sempre por reconhecer os nossos. David roga a Deus que Ele lhe limpe os seus erros, especialmente aqueles que não consegue identificar como seus. "De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados" (Lamentações 3:39). Que Deus perdoe os meus pecados e me ajude a ver e a deixar os que ainda não vejo.

03 janeiro 2018

Novidade de vida

"Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição." (Romanos 6:3-5).

O baptismo na Bíblia representa morte e vida. Quem creu no baptismo de Cristo na cruz deve ser baptizado nas águas. O baptismo nas águas é símbolo e testemunho da nossa morte com Cristo e da vida nova. Quando Jesus morreu, foi sepultado e ressuscitou, os cristãos também estiveram em todo esse processo. A sepultura de Jesus foi o nosso enterro. A vitória da sua ressurreição é a nossa vitória.

Andemos em cada dia em novidade de vida - a vida ressurrecta. Consideremo-nos como mortos para o pecado e vivos para Deus, em Cristo Jesus (Rm 6:11). Rejeitemos as artimanhas, mentiras e raízes do mal. Deixemos sepultada na tumba a nossa velha maneira de viver e vivamos pela força e poder da nova vida de Cristo. Vivamos em novidade de vida, para a glória de Deus Pai.

21 dezembro 2017

O Verbo cheio de graça e verdade

"O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigénito do Pai, cheio de graça e de verdade." (João 1:14).

Sempre que penso no Natal vem-me à memória este verso. A Palavra eterna tomou forma humana. O invisível tornou-se visível e palpável. A glória do Cristo que se tornou Menino foi manifesta entre nós. A glória do Pai, refulgente no Logos encarnado, iluminou o mundo em trevas. Tinha chegado finalmente a graça e a verdade. O Verbo fez morada real neste mundo perdido e iludido e encheu-o da verdade graciosa. A única verdade e a única graça que nos pode salvar. Graça poderosa que pode salvar o pior dos pecadores. Verdade tamanha que convence o mais duro dos corações. O Verbo glorioso, pleno de graça e de verdade continua a chamar-nos para Si. Grande é graça e a verdade de Jesus.